Não existe uso controlado de substância psicoativa (SPA) de abuso para casos onde a pessoa é diagnosticada com a doença da Dependência Química.

Sou a favor da abstinência, mas não me vejo como um “moralista” ou “proibicionista”. Pode até existirem pessoas que se encaixam nestes predicados, mas o uso desta estratégia de rotulação é utilizada como narrativa daqueles que se opõem a abstinência das drogas que buscam desta maneira generalizar e nivelar por baixo a discussão.

Para não admitirem a falta de argumentos técnicos e científicos que validem a falácia do uso controlado para toda as drogas se valem de estratégias nada convencionais, anti éticas, agressivas moralmente e convenientemente carregadas de um discurso progressista, no entanto, irresponsável.

No caso do ex-jogador de futebol Casagrande, na década de 80 também chamado de Bighouse, temos uma rara oportunidade de trazer o tema da Dependência Química para a grande mídia e por muitas vezes ele relata a necessidade de manter-se abstêmio de todo o tipo de substância psicoativa.

Não se vê casos de sucesso na recuperação com pessoas que mantém seu uso de álcool e outras drogas, mas ainda assim alguns grupos insistem na liberdade de utilização de drogas de forma irrestrita como sendo uma maneira de alcance de autonomia e liberdade individual. Afinal o que estes grupos querem? Não percebem que existe um mundo ao redor? Que outras pessoas também coexistem no mesmo espaço? Não percebem que existem pais e mães que não querem esta liberdade para uso de drogas? Que existem jovens que não concordam com esta fantasia?

Será que eles não notaram ainda que não mandam em quem discorda deles?

O terrorismo que fazem nas redes sociais e nas grandes mídias contra aqueles que se não leem a mesma cartilha precisa ser contra atacado. Eles precisam ser CONSTRANGIDOS em seus atos. Chega de quererem constranger as pessoas. Inaceitável ainda termos que ficar escolhendo palavras enquanto eles nos ofendem e nos denigrem sem nenhuma cerimônia.

Se utilizam sempre nos ataques aos seus opositores com termos no sentido pejorativo e não raro com ofensas a honra e ao caráter: terraplanistas, proibicionistas, fascistas, desqualificados, charlatões, bandidos, enfim, um verdadeiro show de horror e ofensas. São na verdade mal-educados, desinformados, egocêntricos, mimados, infantilizados, doutrinados e irresponsáveis. Uma geração de jovens alienados e iludidos com a ideia de fumar maconha para serem os novos “Chicos e Caetanos”. Não conseguem ter uma identidade própria e carregam bandeiras para justificarem sua existência pobre e medíocre.

Precisamos nos mover cada vez mais para o enfrentamento desta situação descabida na qual estamos e promover uma psicoeducação social sobre esta doença implacável e destruidora.

Sensacionalismo? Não!!!

Implacável pois pode atingir a todos, sem exceção. Destruidora porque acaba com a vida de quem faz o uso problemático e desenvolve a doença da dependência química do álcool e outras drogas.

Quem desenvolve a doença tem um diagnóstico difícil de ser compreendido e aceito. Trata-se de uma doença crônica, progressiva e que, se não for tratada, pode ser fatal.

A pessoa que é diagnosticada com a doença tem como orientação IMPRESCINDÍVEL para o seu tratamento e recuperação a interrupção do uso da SPA ou das SPA’s que causaram seu adoecimento ou que disparam o “gatilho” para o consumo da SPA da qual é dependente químico. Vale ressaltar que na maioria dos casos o álcool é a substância que ocasiona o gatilho.

A ABSTINÊNCIA, nestes casos, não é MORALISMO é uma questão de saúde, de vida, de resgate da dignidade. Não podemos mais tratar esta questão pelo viés MORAL e sim pelas EVIDÊNCIAS CIENTÍFICAS. Se alguém consegue usar sua droga e beber seu álcool sem perceber problemas ou prejuízos, ok. No entanto precisam aceitar que para uma outra pessoa este mesmo hábito ou comportamento não é CONTROLÁVEL devido a uma das características mais excepcionais que existem nos seres humanos, a SINGULARIDADE.

Parceiros

3 comentários em “Ser a favor da abstinência do uso de drogas é ser coerente com a doença da dependência química”

  1. Avatar
    Isar Guimarães Dionísio

    Concordo , não existe controle sobre essa doença, e sou a favor do combate e atitudes dessas pessoas que se denominam do paz e amor

  2. Avatar

    Sou abstenio alcoólico a 06 anos na irmandade de Alcoólicos anônimos tento certeza absoluta que com apenas um gole de bebida alcoólica volto a ingerir a grande quantidade que bebia. Só quem é dependente químico sabe que é uma doença incuravel não existe harmonia entre a droga e o dependente

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *