EVITANDO RELAÇÕES TÓXICAS

Quero um relacionamento conjugal íntimo de longa duração.

Para conseguirmos ter um relacionamento íntimo de longa duração, é preciso estar em recuperação. Para estar em recuperação, não é necessário somente parar com o uso abusivo de álcool ou outras drogas. Existe a necessidade de se fazer uma grande reconstrução.

Mas de que reconstrução estamos falando?

Estamos nos referindo à cura das feridas conjugais do passado, redefinindo o papel de responsabilidades de cada um nessa relação, alterando o modo de se comunicar com o parceiro, e desenvolvendo novos padrões de intimidade sexual.

Outra coisa muito importante é abandonar os padrões autodestrutivos de fala e comportamento que geralmente se encontram tão enraizados durante os anos de TUS (transtorno pelo uso de substâncias) ativo.

William White (2010, william white papers) sugere 5 princípios que podem ajudar nessa reconstrução.

1-A cura individual deve vir primeiro que a do relacionamento– Incentive seu parceiro(a) a frequentar grupos de mútua ajuda ( Nar-Anon, Al-Anon, CODA, Amor Exigente), para que possa reaprender a confiar, perdoar ferimentos passados, e consiga resistir ao impulso de controlar seus esforços na recuperação.

2- Prepare-se para a tensão originada da Recuperação- Todos estavam esperando e rezando pela recuperação da pessoa com TUS. Mas essa recuperação vai fatalmente gerar tensão, visto que a recuperação exige que se ajustem os sentimentos e padrões de comportamentos que foram desenvolvidas durante o TUS ativo para essa nova realidade. Isso é normal…e gera crescimento.

3-A cura relacional leva tempo- Devemos ser pacientes uns com os outros. Tudo que está desorganizado no relacionamento não vai se organizar no momento que se inicia a recuperação. Falamos aqui da recuperação de duas pessoas, e cada um tem seu tempo. A recuperação no relacionamento segue como numa espiral, tendo altos e baixos, conforme as atitudes de cada um dos parceiros

4. A cura relacional pode exigir ajuda profissional– O profissional pode aumentar as chances e diminuir o tempo para que essa relação chegue a um bom resultado.

5- Alguns relacionamentos podem não ser recuperáveis- Apesar dos esforços, as vezes uma relação não consegue resistir à recuperação. Nesse caso, o ideal é que ao se perceber que todos os esforços estão sendo infrutíferos, se procure sair dessa relação com o menor dano possível para os envolvidos, e muitas vezes a ajuda externa de um profissional se faz necessária.

Existem também aqueles que entram em recuperação sem estar num relacionamento condenado. Aí se corre o risco de se cair numa armadilha: se envolver muito rápido em um relacionamento, se envolvendo em relacionamentos destrutivos para sua saúde pessoal, segurança e recuperação. Essa armadilha se torna ainda mais eficaz se percebermos que essa pessoa vem de uma família turbulenta ou que seus relacionamentos anteriores foram tempestuosos.

O processo de escolha de parceiros se torna mais complicado quando se tende à escolha seletiva.

Esse é um processo através do qual seleciona-se parceiros com semelhanças ou diferenças conosco.

Apesar de esse ser um processo natural de escolha, ele se torna perigoso quando se escolhe pessoas que possuam os mesmos processos destrutivos, selecionando parceiros que reflitam nosso problema de abuso e ou abandono. Desnecessário dizer que nem o maior dos esforços impede de se minar a recuperação.

Aqui uma sugestão de considerações que você deve buscar:

  1. Faça um inventário de seus relacionamentos anteriores:

Há padrões comuns de como esses relacionamentos começam e terminam?

Você tende a um relacionamento com parceiros que bebam muito álcool ou fazem uso de outras drogas?

Você acaba se sentindo atraído por parceiros que acabam te agredindo física ou emocionalmente?

Parece que você continua encenando os mesmos dramas dolorosos em sua vida?

  • Defina seu padrão de vulnerabilidade nos relacionamentos

É bom que você deixe claro que está em recuperação, antes de entrar num novo relacionamento.

Tenha sempre em mente a afirmação: devo evitar entrar num relacionamento com pessoas que ……..

  • Defina sinais de alerta (perigo) precocemente

Talvez seja útil trabalhar com um conselheiro, ou outra pessoa que tenha passado por problemas similares.

  • Considere se afastar de um relacionamento sério nos primeiros meses de recuperação

No início, a recuperação requer uma energia enorme, é um momento que requer muito foco em você mesmo. Considere como um intervalo para se recompor.

  • Defina o que você quer num relacionamento:

Tente preencher essa frase:

O que eu procuro num relacionamento é alguém que tenha as seguintes características: ………………………..

  • Procure um treinador de relacionamento (um conselheiro, amigo ou colega em recuperação para guiá-lo através de seus primeiros relacionamentos em recuperação.
  • Se você continuar encontrando seu antigo padrão de relacionamento, faça uma terapia de longo prazo, para quebrar esse padrão.
  • Gerencie de forma assertiva sua própria segurança e a segurança de seus filhos em todos os momentos.

Obviamente esse é apenas um guia para se lidar com relacionamentos tóxicos. Mas serve como orientação para aqueles que precisam modificar suas relações. Temos vários grupos de mutua ajuda e terapeutas que podem ajudar que você tenha uma vida feliz e saudável. Isso não significa que não vão existir problemas. Eles são normais e comuns quando duas pessoas convivem, mas pode se achar formas de contornar e resolver esses problemas.

Esse é o objetivo desse artigo.

Bibliografia

White, W. (2010). Avoiding toxic relationships in recovery. Posted at www.williamwhitepapers.com

Parceiros