A dependência química representa hoje um dos maiores desafios enfrentados por profissionais de saúde de todo o mundo. A busca por dados e evidências científicas que garantam respostas cada vez mais eficazes ao tratamento continua em constante processo de construção.

Hoje a inexistência de acompanhamento online da evolução de um processo de recuperação, além da dificuldade de se conseguir dados estatísticos para tomada de decisões estratégicas, prejudicam o trabalho dos profissionais da saúde para direcionamento do melhor tratamento e acompanhamento de um paciente com TUS (Transtorno por Uso de Substância).

O uso de tecnologia já é uma realidade no acompanhamento médico e terapêutico de recuperação de muitos pacientes de outros países.

“Aqui no Brasil temos uma certa descrença por parte dos profissionais da saúde quando o assunto é o uso de tecnologia no acompanhamento médico e terapêutico de uma paciente com TUS”, comenta André Almeida, dependente químico em recuperação a longo prazo, fundador e CEO da starutp My Journey.

A My Journey (Minha Jornada, em tradução livre), é uma plataforma digital usada por profissionais da saúde no tratamento e acompanhamento de pacientes com TUS em processo médico e terapêutico de recuperação. Ela auxilia o profissional no monitoramento e compreensão ampla do comportamento e emoções do paciente e gera um banco de dados importante para entendimento e melhoria do tratamento desta doença.

A ideia surgiu após André passar pro um processo de internação no Hospital Cantareira em São Paulo.

“Após receber alta de uma internação procurei ferramentas tecnológicas para realizar o acompanhamento terapêutico junto ao meu psicólogo e psiquiatra, além de algo que me desse clareza da jornada de recuperação, porém não encontrei nada disponível”, diz Almeida.

Em janeiro de 2016 foi realizada a primeira reunião do que viria a ser a proposta da My Journey. Participaram deste encontro André Almeida, Antônio Carlos Jr, a psicóloga Iara Aidar e a Dra. Luciana Pires, além do João Victor Kdouk, que tinha 14 anos na época e seria o desenvolvedor.

Em 2017 foi lançada a primeira versão da solução que era um aplicativo para o profissional da saúde e paciente. Em 2019 foi montada uma nova equipe de desenvolvimento, realizou-se uma nova validação das principais dores (baixa adesão ao tratamento e altas taxas de recaídas), e foram incorporados novos profissionais da saúde para ajudar na parte técnica. A startup também participou de um programa de aceleração e esteve presente com um estande no Congresso Freemind 2019.

A My Journey fechou uma parceria com o Hub de Inovação da Faculdade de Medicina da São Leopoldo Mandic para a realização de uma validação da solução.

“Queremos usar a tecnologia para aumentar a efetividade e aderência ao tratamento, além da diminuição das taxas de recaídas”, reforça Almeida.

Além da validação científica, existem alguns psicólogos e psiquiatras que estão utilizando nossa solução em troca de um feedback brutalmente honesto.

Em julho deste ano a startup fechou seu primeiro contrato com a Clínica Reviver de Ibicaré/SC. A Clínica Reviver está sendo a pioneira no Brasil não só em experimentar a My Journey, mas também implementar tecnologia à jornada de recuperação dentro dos processos de tratamentos existentes hoje na clínica.

Para saber mais da evolução desta solução entre em contato pelo e-mail contato@appmyjourney.com ou mande um whatsapp para 11 998285830.

My Journey: A recuperação não é um destino. É uma jornada!

Parceiros

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *