O início da minha jornada na dependência química

Desde muito nova, meus programas preferidos eram documentários. Aos 12, assisti uma reportagem do Profissão Repórter sobre a Cracolâdia e aquilo me despertou uma curiosidade de saber o porquê que as pessoas chegavam ao ponto em que elas estavam por causa de uma substância. Comecei a procurar um pouco mais sobre o assunto para entender de maneira mais clara e descobri um documentário da National Geographic chamado Drugs, inc. que falava sobre o uso de drogas ilícitas, onde mostrava tanto o dia dos traficantes como o dia dos usuários. Dessa maneira minha curiosidade passou a aumentar ao longo dos anos e procurei cada vez mais reportagens e mais documentários, como alguns da HBO como: Vício e Dopados de Amor.


Foi quando tive uma ideia passageira de querer me tornar jornalista para poder gravar mais reportagens e documentários e dessa forma, ficar mais perto do mundo da dependência química e poder ajudar essas pessoas. Após analisar melhor essa hipótese, vi que o jornalismo não era pra mim, pois eu queria ter o contato mais pessoal com essas pessoas e decidi ingressar meu estudo na Psicologia, para assim, concretizar meu sonho e acompanha-las no seu dia a dia.


Então, em 2018 eu comecei a cursar psicologia pelo Centro Universitário Tiradentes (UNIT), em Maceió. Em 2019, descobri um curso num hospital psiquiátrico renomado e comecei a fazer o curso de Capacitação em Psicopatologia Fenomenológica dos Transtornos Mentais no Hospital Escola Portugal Ramalho (HEPR), que falava sobre os transtornos mentais e de comportamentos relacionados ao uso de substâncias psicoativas e da dependência que cada uma causava.


Em 2020, após ver meu interesse pela área, um dos meus professores da faculdade chamado Dalnei Delevatti, me convidou a fazer um estágio na Clínica especializada em dependência química Árvore da Vida. Agarrei essa oportunidade com toda a responsabilidade e comprometimento que poderia ter. Foi aí que começou de fato, meu trabalho como terapeuta de grupos com dependentes químicos, podendo acompanhar no meu dia a dia, a vida das pessoas as quais sonhei em ajudar. Através relatos, de experiências dos pacientes, juntamente com a aprofundação de mais estudos nessa área, através do livro do N.A, do estudo sobre os estágios motivacionais do Prochaska, do Plano de Prevenção à recaída pude aplicar nas minhas terapias. No meu tempo livre, também procurava aumentar cada vez mais o meu conhecimento, assistindo mais documentários, lendo livros, matérias e artigos que envolviam o assunto. Inclusive fiz outro curso de capacitação de conselheira em dependência química ministrado pelos psicólogos Jefferson Goes e Gustavo Lins.
Hoje, estou trilhando meu caminho, levando a essas pessoas, conhecimento, a escuta empática e a terapia como uma nova forma de se ver o mundo e assim, ajudando-os na optação de novas escolhas.


Espero que as pessoas que participaram das minhas terapias, saibam que existem outras maneiras de se resolver os problemas, sentimentos, traumas e frustrações sem o uso de álcool e/ou outras drogas. Acredito que essa é minha missão. Não podemos mudar o passado, mas podemos construir um novo futuro.

Parceiros