Expansão internacional do PCC abre a rota da maconha ‘gourmet’ colombiana no Brasil

“Minha vizinhança, minha vida”.

Imagine do lado da sua casa, uma plantação “indoor” de Cannabis – com alta concentração de THC – droga que causa dependência e cada vez mais associada a psicoses, “gatilho” para esquizofrenia em indivíduos com tendência genética a tal… afora tantos outros males aos frágeis cérebros de crianças e adolescentes.

O PL 399/15, se virar lei, permitirá esse plantio nos 5570 municípios do país, nas chamadas “Casas de Vegetação” – “bunkers” com muros elevados, cercas elétricas, sistemas de videomonitoramento, forte aparato de segurança, e sem identificação ostensiva do lado de fora. Artigo 6o (sexto).

O PL 399/15 não esclarece se a Polícia Federal poderá ter pleno acesso às “Casas de Vegetação”, para o seu legítimo mister de prevenção/repressão ao tráfico de drogas.

E nem diz claramente qual seria o órgão federal fiscalizador dessas “Casas”…

Diz em pronunciamentos o senhor Relator, Deputado Dr. Luciano Ducci [entretanto sem deixar explícito no texto que propõe, ou seja, na letra da lei!], que seria o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) o dito órgão federal fiscalizador.

“Casas de Vegetação” na minha rua. Sem a Polícia poder saber o que se planta dentro, com sofisticado sistema de segurança, iluminação das plantas por LED, climatização, irrigação, etc… O prêmio que faltava ao crime organizado.

Sinceramente, há como se provar se o MAPA tem hoje, maio/21 (plena pandemia!), condições de se fazer presente em todos, todos mesmo! municípios do país, com estrutura e recursos humanos para essa insana tarefa?

A matéria do “El País” merece atenta leitura.

Alguém mesmo acredita que as cepas de “alta octanagem” ficarão restritas à Colômbia? Link abaixo.

Para que, meu Deus, tanta pressa e imprudência para se autorizar o plantio de Cannabis no Brasil? Já no próximo dia 17?

A Anvisa autorizou a produção de medicamentos com Cannabis desde 2019!

Vamos repetir e decorar: RDC 327/2019 da Anvisa. Remédio com “cara”, aparência de remédio, embalagem padronizada, tarja preta, prescrição por médico, segundo as normas do Conselho Federal de Medicina (CFM).

Ah! De nada serve o nobre Relator pronunciar da tribuna que respeita a Anvisa, se seu texto que pode virar lei, não só contraria todas as normas dessa agência regulatória, como omite deliberadamente a RDC 327/19.

A emenda do deputado Doutor Osmar Terra, que visava ao fornecimento de medicamentos a base de Cannabis pelo SUS, sempre fazendo menção à Anvisa e ao CFM, sequer foi considerada pelo Senhor Relator (no último dia 11.5).

Que Jesus tenha piedade do Brasil e da América do Sul.

Só Ele para fazer com que tudo que está oculto seja revelado.

Guilherme Athayde Ribeiro Franco
MPSP
Especialista em Dependência Química – UNIAD/UNIFESP

Fonte: https://brasil.elpais.com/brasil/2021-05-13/expansao-internacional-do-pcc-abre-a-rota-da-maconha-gourmet-colombiana-no-brasil.html

Parceiros

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *