Compreendendo a importância das habilidades sociais na prevenção e combate à dependência quimica.

As relações interpessoais representam uma parte importante da atividade humana desde o início de nossas vidas; o transcorrer irá depender, em grande parte, do desenvolvimento das habilidades sociais.

Almir Del Prette e Zilda Del Prette, em Psicologia das Relações Interpessoais, 2001, definiram:

Habilidades Sociais são classes de comportamentos necessários para que um indivíduo seja socialmente competente, isto é, que ele consiga obter um desempenho satisfatório em suas relações interpessoais com um repertório rico em um conjunto de comportamentos apropriados para obter tal desempenho. ”


Maior repertório de habilidade social gera menos sentimentos negativos, menos problemas de comportamento, mais autoestima e melhor rendimento profissional e acadêmico.


Conforme Vicente Caballo, em “O treinamento das habilidades sociais”, 1996; as dimensões comportamentais mais comuns são:

  • Fazer elogios e aceitar elogios;
  • Fazer pedidos e recusar pedidos;
  • Expressar amor, agrado e afeto;
  • Iniciar e manter conversações;
  • Defender os próprios direitos;
  • Expressar opiniões pessoais, inclusive desacordo;
  • Expressar incômodo, desagrado ou enfado justificados;
  • Pedir a mudança de conduta do outro;
  • Desculpar-se ou admitir ignorância;
  • Enfrentar as críticas;
  • Falar em público.

    As habilidades sociais não estão ligadas às características pessoais, e sim às características comportamentais, levando em conta a forma como o indivíduo reage diante de uma situação no que tange ao contexto.

Habilidades Sociais segundo Caballo, 1996, são:

“… um conjunto de comportamentos emitidos por um indivíduo em um contexto interpessoal que expressa sentimentos, atitudes, desejos, opiniões ou direitos desse indivíduo de modo adequado à situação, respeitando esses comportamentos nos demais, e que geralmente resolve os problemas imediatos da situação enquanto minimizando a probabilidade de futuros problemas. ”

Em Del Prette; Del Prette, 2001, as dimensões comportamentais mais comuns são:

  • Manifestar opinião, concordar, discordar;
  • Estabelecer relacionamento afetivo/sexual;
  • Empatia;
  • Expressar raiva e pedir mudança de comportamento;
  • Interagir com autoridades;
  • Resolver problemas, tomar decisões e mediar conflitos;
  • Fazer amizades;
  • Cultivar o amor;


Ainda Del Prette; Del Prette, 2001, o repertório das habilidades sociais se dividem em automonitoria, comunicação, civilidade, assertividade de enfrentamento, empáticas, de trabalho e expressão de sentimentos positivos.
Possuir habilidade social não significa que o indivíduo não possa demonstrar seus sentimentos, seu ponto de vista, suas ideias. Mas saber que existe um contexto para tudo. Um simples “obrigado”, “com licença”, “me desculpe” já demonstram alguma habilidade social verbal, assim como parar na faixa de pedestre quando se está dirigindo, demonstra uma habilidade social não verbal.

É importante estudar habilidades sociais, pois são elas que permitem o estabelecimento de relações interpessoais saudáveis e construtivas.
Ampliam o repertório nos transtornos psiquiátricos, no abuso de substâncias psicoativas, nas dificuldades em relacionamentos, nas dificuldades escolares e no mercado de trabalho.
Habilidades sociais pouco desenvolvidas ou pouco treinadas podem gerar ansiedade, estresse e depressão, para exemplificar. O inverso gera ambientes satisfatórios na família, no trabalho, na escola, na comunidade e nos relacionamentos.

O interesse pelos temas relacionados à qualidade das relações interpessoais deve ocupar um lugar de destaque na vida das pessoas, não só para combater a violência, o preconceito, a intolerância e o desrespeito, mas também para expressar os desejos, sentimentos e atitudes de forma adequada em todos os momentos da vida, gerando saúde mental e espiritual satisfatórias.

“Eu te amo, mas não concordo com o seu comportamento”!
O seu baixo repertório comportamental pode lhe trazer algumas dificuldades nas diversas áreas da vida.

Parceiros

1 comentário em “Compreendendo a importância das habilidades sociais na prevenção e combate à dependência quimica.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *