As pessoas se recuperam do uso abusivo de substâncias. Eles também fazem coisas boas.

Todas notícias sobre o uso abusivo de substâncias – taxas crescentes, o número recorde de mortes por overdose  e coisas do gênero – tendem a ser desanimadoras. Como médicos e pesquisadores, entretanto, temos a sorte de ver com frequência seu lado positivo: a recuperação.

A narrativa há muito tempo é que o transtorno por uso de substâncias é uma condição desesperadora da qual poucos se recuperam. Estatísticas sombrias frequentemente divulgadas sugerem que apenas uma pequena porcentagem das pessoas se recupera disso. Embora haja alguma verdade nisso, o problema é que essas estatísticas nunca são contextualizadas.

Não há dúvida de que muitas pessoas reincidem após uma tentativa de recuperação. A maioria das pessoas faz várias tentativas. Assim como acontece com a mudança de qualquer hábito fortemente arraigado, como fumar ou comer não saudável, muitas pessoas não conseguem na primeira tentativa. Mas muitos eventualmente chegam lá com tentativas sucessivas.

Cerca de 75% das pessoas que buscam a recuperação de um problema de uso de substância atingem seu objetivo, embora possa levar algum tempo para atingir a remissão completa. considera se que O número médio de tentativas antes do sucesso é cinco, embora o número idealizado seja apenas dois, o que significa que um pequeno – geralmente indivíduos com a maior gravidade do vício e outros problemas de saúde mental concomitantes precisam de mais de cinco tentativas , fazendo com que pareçam piores do que são.

Junto com vários colegas, recentemente concluímos um estudo marcante que, pela primeira vez, fez uma pesquisa abrangente com americanos que disseram ter resolvido um problema de álcool ou outras drogas.

Parte do que aprendemos com essa pesquisa foi realmente desanimador – pessoas que resolveram um problema de uso de substâncias, por exemplo, estão em pior situação do que o resto da população em termos de saúde e emprego . Mas as notícias não foram de todo ruins. Na verdade, alguns pontos positivos importantes emergiram deste trabalho.

Em primeiro lugar, este estudo descobriu que 22,3 milhões de americanos superaram um problema com álcool ou outras drogas – isso é 9% dos adultos americanos na época em que fizemos a pesquisa! O fato de quase 1 em cada 10 adultos norte-americanos ter superado um problema de uso de substâncias é prova de que não apenas a recuperação do vício é possível, mas é comum. Para contextualizar ainda mais esse achado, no ano em que esses dados foram coletados (2015), haviam mais pessoas que endossaram ter resolvido um problema de álcool ou outras drogas nos Estados Unidos do que tinham um transtorno ativo pelo uso álcool ou outro transtorno de uso de drogas (22,3 milhões vs. 20,8 milhões ).

Também vimos melhorias significativas na qualidade de vida e uma diminuição no sofrimento psicológico ao longo do tempo na recuperação, mostrando que as pessoas e suas vidas melhoram depois de resolver um problema de uso de substâncias. Praticamente qualquer pessoa em recuperação de dependência lhe dirá isso, mas essas descobertas são importantes porque fornecem evidências concretas que se opõem à falsa narrativa de que o transtorno por uso de substâncias é uma condição desesperadora.

E não é só porque o bem-estar melhora. Também descobrimos que 80% das pessoas que superaram um problema de álcool ou outras drogas alcançaram pelo menos uma grande conquista associada ao auto aperfeiçoamento e envolvimento familiar desde a superação de um problema de uso de substâncias – coisas como conseguir um novo emprego, concluir um diploma universitário ou voluntariado. E, como você pode esperar, acumular tais conquistas foi associado a melhorias na qualidade de vida e bem-estar ao longo do tempo.

Esses resultados desafiam as crenças comumente sustentadas sobre a natureza do transtorno por uso de substâncias como uma condição constantemente recorrente com pouco espaço para melhorias. A realidade é que esse transtorno tem um bom prognóstico e é caracterizado por uma melhora significativa ao longo do tempo na recuperação.

Nesse sentido, descobrimos que mais anos de recuperação estavam associados a um número crescente de conquistas. Isso provavelmente representa um processo recíproco, com mais anos de recuperação levando a mais realizações e melhores resultados que, por sua vez, apoiam a recuperação contínua. Com o tempo, as pessoas continuam melhorando sua qualidade de vida e conquistando coisas que antes não eram.

Começar cedo parece ser a chave para melhores resultados de recuperação. Embora a recuperação do vício esteja associada a vários aspectos positivos, independentemente da idade, os dados sugerem que entrar na recuperação do vício jovem, independentemente da gravidade do vício de um indivíduo, está associado a um melhor funcionamento global subsequente e qualidade de vida.

Em conjunto, esta pesquisa contrasta fortemente com o forte estigma e pessimismo em torno do transtorno por uso de substâncias, que aumentam dramaticamente o fardo do vício. Para muitas pessoas, eles representam uma grande barreira para buscar ajuda e alcançar a recuperação.

Indivíduos com dependência são frequentemente vistos como instáveis e perigosos , e são muito menos propensos a serem desejados por outros como amigos ou parte de suas famílias em comparação com pessoas com outras condições de saúde mental. Numerosas barreiras sociais e legais também impedem os esforços dos indivíduos de reconstruir suas vidas após resolver um problema com álcool ou outras drogas, como leis que impedem pessoas com histórico de prisão por drogas de obterem empréstimos federais para ir à escola e políticas corporativas generalizadas que proíbem a contratação de pessoas. com antecedentes criminais, mesmo para acusações não violentas relacionadas à posse de drogas.

No final das contas, o vício é um distúrbio altamente tratável, do qual a maioria das pessoas eventualmente se recupera. E nosso estudo recente mostra que, apesar das inúmeras barreiras legais e sociais, a maioria dos indivíduos em recuperação de dependência continua a se reunir à sociedade e a contribuir para ela de várias maneiras significativas.

É hora de fornecermos às pessoas os recursos de que precisam para reconstruir suas vidas na recuperação do vício, em vez de erguer ou manter barreiras para seu sucesso. Isso beneficia não apenas aqueles que buscam a recuperação do vício, mas a sociedade como um todo.

Este texto é uma tradução na integra do artigo: https://www.statnews.com/2021/05/03/people-recover-from-addiction-they-also-go-on-to-do-good-things/

Faces e Vozes da Recuperação do Brasil – Voluntários: André Almeida e Elaine Camarini

Parceiros