Amor ou abuso: Como identificar as táticas de manipulação em um relacionamento abusivo

Um relacionamento abusivo se caracteriza na discrepância do poder de um em relação ao outro, o abusador tem a intenção de exercer o controle sobre o outro, assim sempre existirá uma posição de desigualdade. Esse tipo de relacionamento segue alguns padrões, em que abusadores usam táticas eficazes de manipulação que além de te deixar “presa” emocionalmente nesse relacionamento, também gera sentimentos recorrentes de dúvidas, culpas, medos, inseguranças, e esperança de que um dia o parceiro irá mudar.


Conhecer as táticas de manipulação possibilita identificar se você está em um relacionamento abusivo, assim como evitar entrar em um, pois alguns desses padrões podem aparecer logo no início do relacionamento.


1- Gaslighting: é um tipo de manipulação em que o abusador nega, distorce, omite ou cria informações, fazendo com que a outra pessoa duvide de si mesma, dos seus sentimentos e às vezes até da sua sanidade. O abusador mente e distorce a história, fazendo com que a vítima pense que ela está errada, que ela “enlouqueceu”. Quando bem-sucedido, o abusador consegue fazer a vítima não confiar mais em suas próprias opiniões ou perspectivas. Você já ouviu: “Você está louca?”, quando tudo o que estava acontecendo era bem real.


2- Triangulação: triangulação nem sempre é sobre traição, é um tipo de manipulação por meio da qual abusadores inserem uma terceira pessoa no relacionamento, com objetivo de provocar ciúmes, manter o controle e fazer a vítima sentir que deve “competir” por seu afeto. Um exemplo de triangulação é quando o abusador diz: “Ela nunca me trataria assim.” (se referindo à uma terceira pessoa). Essas declarações provocam sentimento de insegurança e incerteza na vítima.


A triangulação também é comum acontecer em famílias com pai ou mãe narcisista, para dissociar a relação entre os irmãos, de modo que eles não se comuniquem de forma direta e assim não fortaleçam os laços entre eles.


3- Tratamento do silêncio: é uma forma de abuso emocional que tem como objetivo ter controle sobre o outro. O abusador não tolera ser contrariado, e, como forma de punição, adota o tratamento do silêncio, dessa forma ele impõe sua vontade, fazendo com que a vítima se sinta culpada, mesmo sem entender o motivo.


4- Campanha de difamação: o abusador usa essa tática para inverter a situação, faz a vítima passar por “louca”, “desequilibrada”, e nunca ele. Seu objetivo é que ninguém acredite nas acusações de abuso que a vítima sofreu. Mesmo durante a relação, a fim de alienar a vítima, abusadores costumam ter o hábito de contar mentiras a seu respeito.


5- Desvalorização: no início do relacionamento, o abusador te elogiava em tudo, depois as coisas começaram a mudar e ele passa a te menosprezar; o que antes era elogio agora torna-se as coisas que você precisa mudar. E ora ele te trata bem, ora vem com uma crítica. Esse jogo do bate e assopra e de tentar te diminuir é uma forma de manipulação que te deixa presa emocionalmente ao abusador, desejando que o tempo em que ele era só elogios volte.


6- Inversão da culpa: o abusador não assume a responsabilidade pelos seus erros, e projeta na parceira/o; o abusador acusa a vítima de coisas que ele é o culpado. Assume uma postura de vítima despertando no outro o sentimento de culpa.

Sair de um relacionamento abusivo não é fácil, se você identificou que está em um, esforce-se para sair dele. E, sobretudo, para não entrar no ciclo de idas e vindas, rompendo com decisão e coragem para retomar sua vida de forma saudável. Se precisar busque ajuda profissional.


Psicóloga Marcia Scolfaro CRP 06/155261

Parceiros