Alegro-me em escrever sobre este pleonasmo. Só há amor com exigência! Fora desta possibilidade, falamos de amorosidade, de paixão, mas jamais de Amor. Tornar o outro forte, capaz de se defender do mal em todos os dias de sua vida é Amor. Fazer o que precisa ser feito, doa em mim e ou no outro, e finalmente permitir que o outro seja autônomo, tendo prazer em suas próprias conquistas, são as ideias básicas que o programa de qualidade de vida e proteção social chamado Amor-Exigente (AE) é capaz de trabalhar para conscientizar seus participantes. Pessoas extraordinárias chegam até o programa de AE exauridas pela insana tentativa de fazer o outro feliz. Aprendem que precisam mudar. Precisam amar primeiramente a si mesmas. Primeiro passo para o entendimento da proposta: autoestima, o amor incondicional que devo ter por mim mesmo. Não é tarefa fácil, diria impossível em conseguir sozinhos. Precisamos da metodologia de reuniões geridas por pessoas que tiveram suas vidas resgatadas pelo programa e que, por gratidão tornaram-se voluntarias na orientação da vivencia de valores que devem aos poucos ser reconstruídos. “Sozinhos estamos perdidos, em comunidade encontramos nossa força.” Um programa de tomadas de atitudes, onde semanalmente cada participante escolhe uma ação para por em prática. Uma meta, que deve ser tangível, mas que, uma vez executada fortalece o aparecimento da esperança em novos tempos e alegria do dever cumprido.  O resgate da espiritualidade pluralista, traz ainda, a possibilidade da recuperação em dependência química e em co dependência, desde que seja fiel, honesta e verdadeira. Um programa simples, com metodologia fácil e voluntários valorosos, isto é Amor-Exigente, o pleonasmo mais verdadeiro que conheço.

Luiz Fernando Cauduro

Voluntario de AE.

Parceiros

1 comentário em “Amor-Exigente é um pleonasmo!”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *