Todas as famílias, em menor ou maior grau, apresentam disfuncionalidades que merecem total atenção, para a otimização de suas relações, por meio de ações de prevenção a comportamentos inadequados ou até uso e abuso de drogas.

É inegável que o contexto social atual, pleno de solicitações, competições, imediatismos e individualismos, entre outros, consome a maior parte do tempo, sobrando muito pouco para a dedicação à família como ela merece. E um dos pontos que devem ser considerados na criação dos filhos é o sentimento de culpa que muitos pais sentem frente a essa situação.

E no dever de “dar certo”, de apresentar competência na condução da família, muitos pais, tendo a culpa, como pano de fundo emocional e de ação, acabam sendo reféns de seus filhos, de seus desejos e comportamentos ou da própria imagem que fazem de si.

Algumas dessas situações merecem ser consideradas aqui:

Perfeccionismo

A sociedade cobra a perfeição e a competência, sempre num nível de excelência cada vez maior. O sentimento de culpa que os pais têm por não conseguirem,  muitas vezes ,corresponder a essa expectativa, faz com que essa cobrança de perfeição se estenda aos filhos. Obviamente, esses também, nem sempre conseguindo sustentar a perfeição exigida, sentem-se fracassados, incompetentes, ansiosos, com autoestima baixa.

Essa sequência de construções de imagens pessoais doentias se avoluma e deixa fértil o terreno familiar para que mais disfuncionalidades aconteçam, tais como brigas, desentendimentos, distanciamentos, jogo de culpas, escassa admiração, ressentimentos e mágoas, rotulações, entre outros.

Muitos filhos buscam aprovações e sensações melhores em outros lugares fora do contexto familiar. Eis aí um grande risco.

Codependência

Muitos pais, premidos pela culpa advinda da falta de tempo para se dedicarem aos filhos, vivem a sua vida para satisfazê-los em todas as vontades e momentos. Dessa posição, resulta a falta de limites. E se “tudo pode”, eles sempre vão querer mais, querer sentir emoções cada vez mais fortes. Eis aí outro grande perigo.

Contexto familiar de brigas e acusações

Quando algumas coisas não dão certo, principalmente em relação aos filhos, é comum pais de famílias disfuncionais acusarem-se mutuamente, na frente dos filhos, gerando neles o medo e insegurança. Mas é interessante observar que os filhos percebem, exatamente, a partir desse quadro, como lidar com cada uma das partes  que não se entendem, que falam “línguas” diferentes. Eis aí o nascimento das manipulações, das mentiras e chantagens. E o respeito e a admiração também já saíram pela porta. Perigo à vista!

Onipotência ou proteção excessiva

Com a culpa de não “serem bons o suficiente”, muitos pais protegem seus filhos em demasia e acreditam que fazem tudo para que eles sejam felizes. Na verdade, tiram-lhes as chances e os seus direitos de aprenderem com seus erros, e de desenvolverem a responsabilidade por suas escolhas. Ceifam-lhes a autonomia que, no futuro, fará falta a eles, quando terão de exercer a liberdade das opções para suas vidas.

Infantilização dos pais

Sem amadurecimento para construir a figura de autoridade, pois também foram tratados como “reizinhos” e “princesas”, muitos pais e mães apenas encenam o papel, sem saberem o que fazer em situações que requerem compreensão, análise, ponderação, realinhamentos de rumos, de conceitos e de atitudes. Sentindo-se culpados, muitos se limitam a copiar outros pais, sem construírem o seu modelo familiar próprio.Os filhos percebem e sabem que a segurança do porto seguro emocional terá de ser buscada em outros lugares. Eis aí outro risco.

Quando os pais participam de um Programa de Prevenção constatam que o 5º princípio os liberta da culpa e do medo, tornando-os mais aptos a caminhar , por meio dos outros princípios, em direção a novas atitudes, para retomarem o seu papel na construção de uma família mais funcional, mais verdadeira e amorosa.

É importante para os pais. Mas é muito mais importante para os filhos, que são os grandes beneficiados.

Maria Izabel de Oliveira Massoni

 Voluntária do Amor-Exigente de São José do Rio Preto-SP

Parceiros

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *